Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A nova comissária da Polícia Metropolitana, Cressida Dick, na nova sede da Scotland Yard em Londres, na Inglaterra 22/02/2017 REUTERS/Peter Nicholls

(reuters_tickers)

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido nomeou a experiente oficial antiterrorismo Cressida Dick, mais conhecida por ter chefiado a operação que levou à morte do brasileiro inocente Jean Charles, como a primeira mulher a comandar a força policial de Londres, em seus 188 anos de história.

Cressida Dick, de 56 anos, se torna a oficial mais importante do país, chefiando uma força de cerca de 43 mil policiais e controlando um orçamento de mais de 3 bilhões de dólares.

"Estou empolgada e honrada. Esta é uma grande responsabilidade e uma oportunidade incrível", disse Cressida, que vinha trabalhando para o gabinete de Relações Exteriores do Reino Unido após deixar a força de Londres em 2015.

Em julho de 2005, ela comandou a operação que levou à morte de Jean Charles de Menezes, de 27 anos, morto com um tiro na cabeça pela polícia na estação de metrô de Stockwell, no sul de Londres, após ser confundido com um possível homem-bomba.

Na véspera, quatro militantes islâmicos haviam tentado, sem sucesso, causar explosões na rede de transporte de Londres e a polícia acreditou erroneamente que Jean Charles seria Hussein Osman, um dos agressores foragidos, que morava no mesmo prédio que Jean Charles.

Reuters