Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Alto comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein. 14/12/2016. REUTERS/Pierre Albouy

(reuters_tickers)

GENEBRA (Reuters) - Discriminar pessoas com base na sua nacionalidade é ilegal, disse o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos no Twitter na segunda-feira, referindo-se à proibição determinada pelo presidente norte-americano, Donald Trump, à entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países de maioria muçulmana.

"Discriminação apenas sobre a nacionalidade é proibida sob a lei #humanrights", disse Zeid Ra'ad al Hussein em um tweet enviado por seu gabinete. "A proibição dos EUA também é mesquinha e desperdiça os recursos necessários para uma luta apropriada contra o terrorismo."

Após um fim de semana de confusão, protestos e clamores em todo o mundo sobre o decreto de imigração de Trump, o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos disse na noite de domingo que os residentes legais permanentes, detentores dos chamados green cards, seriam admitidos, sujeitos a verificações de segurança.

(Reportagem de Tom Miles)

Reuters