Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BOSTON (Reuters) - Chelsea Manning, a soldado norte-americana transgênero que passou sete anos na prisão por vazar dados confidenciais, e Sean Spicer, ex-porta-voz da Casa Branca, foram nomeados como personalidades visitantes da Universidade de Harvard, informou a escola nesta quarta-feira.

"Ampliar o alcance e a profundidade das oportunidades para nossos estudantes ouvirem e interagirem com especialistas, líderes e formuladores de políticas é um alicerce do Instituto de Política", disse Bill Delhunt, diretor interino do instituto na Escola Harvard Kennedy. "Acolhemos a amplitude de pontos de vista provocantes sobre raça, gênero, política e mídia."

Os dois são parte de um grupo de uma dúzia de líderes políticos e jornalistas que atuarão como acadêmicos visitantes na escola no ano letivo de 2017-2018.

Em maio, Chelsea, de 29 anos, foi libertada de uma prisão militar do Kansas onde cumpria pena por divulgar segredos ao site WikiLeaks, a maior violação de dados confidenciais da história dos Estados Unidos.

Spicer foi o primeiro secretário de imprensa do presidente Donald Trump, emergindo na cena pública em janeiro com uma repreensão aos repórteres, que acusou de minimizar o tamanho da multidão que acompanhou a posse presidencial. Ele foi parodiado com frequência no programa humorístico "Saturday Night Live".

Ex-funcionário do Comitê Nacional Republicano, Spicer deixou a Casa Branca durante o verão norte-americano em meio a uma reformulação de pessoal.

         (Por Scott Malone)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters