Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Andrew Stern
BENTON HARBOR, EUA (Reuters) - O ex-vice-presidente norte-americano Dick Cheney pediu nesta quinta-feira que o presidente Barack Obama se comprometa com um número suficiente de tropas para vencer a guerra no Afeganistão, alertando que hesitar pode encorajar o inimigo e devastar os aliados.
"Não vejo como ele pode fazer algo que não seja tomar medidas agressivas para atingir a vitória", disse o republicano de Wyoming, ferrenho crítico da nova administração, em discurso a um grupo empresarial de Michigan.
"Nossos adversários se fortalecem com nossa hesitação e vacilos", disse Cheney.
"Nossa vontade incompleta terá consequências devastadoras não somente para o Afeganistão, mas também para os aliados da Otan. Essa é a primeira vez na história em que todos os membros da Otan enviaram tropas para combate".
A Casa Branca não disse quando Obama deve tomar uma decisão sobre a estratégia no Afeganistão, apesar da administração afirmar que é improvável ocorrer algo antes que ele viaje à Ásia em 11 de novembro.
Republicanos têm criticado Obama por demorar muito para revisar a estratégia no Afeganistão, que foi colocada em ação em março.
Cheney disse que Obama deveria seguir os conselhos de seus comandantes militares e aumentar o contingente de 65 mil tropas como sugere o general Stanley McChrystal, que recomendou mais 40 mil tropas adicionais.
Entre outras opções que surgiram está o envio de 10 a 15 mil tropas que podem se concentrar no treinamento de forças afegãs.
"Estou preocupado com a consideração política de menos tropas. Creio que é errado", disse Cheney.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters