Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Chris Kenning e Joseph Ax

CHICAGO/NOVA YORK (Reuters) - A cidade de Chicago vai processar o governo Trump na segunda-feira pelas ameaças de que a verba cedida às chamadas "cidades-santuário" será retida, em mais um episódio de insatisfação contra as novas medidas repressivas da imigração no país, anunciou o prefeito Rahm Emanuel neste domingo.

O processo acontece menos de duas semanas depois que o procurador-geral Jeff Sessions anunciou que o Departamento de Justiça dos EUA tiraria cidades de determinados fundos de subsídios a menos que elas concordassem em permitir às autoridades de imigração acesso ilimitado às prisões locais e fornecer aviso 48 horas antes de liberar qualquer acusado de violações de imigração.

"Chicago não vai deixar nossos policiais tornarem-se peões políticos em um debate", disse Emanuel, que é democrata, em entrevista coletiva. "Chicago não vai deixar que seus moradores tenham seus direitos fundamentais violados. E Chicago nunca vai abandonar o nosso status como uma cidade acolhedora."

Reuters