Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

XANGAI (Reuters) - A China prometeu neste sábado continuar desempenhando um papel construtivo na manutenção e implementação do acordo nuclear do Irã, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, estabeleceu um ultimato para consertar o que chamou de "falhas desastrosas" no pacto com Teerã.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse ao ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, por telefone, que a implementação do acordo não "descarrilou", mas que enfrentaria "alguns novos fatores de complicação", de acordo com a agência estatal de notícias Xinhua.

Continuar implementando o acordo nuclear é responsabilidade de todas as partes interessadas e desejo comum da comunidade internacional, disse Wang durante o telefonema, realizado durante uma visita a Ruanda.

O acordo ajudaria a manter o regime internacional de não proliferação nuclear, manter a paz e a estabilidade na região e resolver "outros problemas urgentes" em todo o mundo, disse.

O chanceler chinês pediu ao Irã para manter a calma e continuar a cumprir as obrigações que lhe cabem por força do acordo.

Na sexta-feira, Trump concordou em manter a suspensão de sanções contra o Irã que foram retiradas como parte do acordo internacional, mas disse que seria a última vez, a menos que as condições dos EUA sejam atendidas para consertar o que ele chamou de "falhas significativas" no acordo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters