Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da China, Xi Jinping, participa de cerimônia de boas vindas ao presidente do Tadjiquistão, Emomali Rahmon, em Pequim, China 31/8/2017 REUTERS/Jason Lee

(reuters_tickers)

PEQUIM (Reuters) - O presidente da China, Xi Jinping, é um pioneiro da diplomacia cuja ideologia transcendeu séculos de teoria das relações internacionais ocidental, disse o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, nesta sexta-feira, louvando Xi antes de um congresso do Partido Comunista.

A China vem se tornando mais assertiva em sua política externa sob o comando de Xi, que está alardeando seu plano de infraestrutura Anel e Estrada e procurando posicionar seu país como um pilar da globalização.

    Pequim também vem ampliando sua atuação militar global ao abrir sua primeira base no exterior, no Djibouti, e usar sua Marinha em expansão para adotar uma postura mais enfática em disputas marítimas com seus vizinhos.

    O "pensamento diplomático" de Xi é um compasso para as relações internacionais sob novas condições e se tornou um traço do "soft power" chinês, disse Wang em um estudo publicado no Study Times, o jornal oficial da Escola Central do Partido, que treina funcionários.

    "Ele também inova e transcende os últimos 300 anos de teoria ocidental tradicional das relações internacionais", argumentou o chanceler, cujo perfil vem crescendo à medida que a China amplia sua presença na arena global.

    Wang creditou Xi por ter buscado amigos e parceiros, não aliados, colocando de lado as diferenças para buscar um meio termo e descartando a "mentalidade da Guerra Fria" de "quem não é meu amigo é meu inimigo".

    Com a resolução de um "reformista e pioneiro", Xi respondeu ao clamor dos tempos para "apresentar muitas ideias novas que seus antecessores não apresentaram", afirmou Wang.

    Wang creditou à China sucessos obtidos sob as rédeas de Xi, como a promoção de conversas e a desnuclearização da península coreana, além da ajuda para conter ameaças globais como o terrorismo internacional, a mudança climática e questões de segurança cibernética.

    Desde que tomou posse quase cinco anos atrás, Xi consolidou seu poder, incluindo a condução de um grupo que lidera a reforma econômica e indicando a si mesmo como comandante-em-chefe dos militares, embora já controle as Forças Armadas por ser o chefe da Comissão Militar Central.

    O partido iniciará em 18 de outubro o congresso quinquenal, durante o qual um novo Comitê Permanente, o topo do poder na China, será constituído.

    Fontes diplomáticas acreditam que até o final do ano Wang pode assumir o posto de principal diplomata do país de seu antecessor, o Conselheiro de Estado Yang Jiechi, de 67 anos, que é seu superior hierárquico.

    (Por Michael Martina)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters