Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, durante entrevista coletiva em Pequim 05/12/2017 REUTERS/Greg Baker/Pool

(reuters_tickers)

Por Colin Packham

SYDNEY (Reuters) - Não haveria vencedor em um conflito entre China e Estados Unidos, alertou nesta terça-feira o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, buscando amenizar tensões que cresceram entre os dois países após a eleição do presidente norte-americano, Donald Trump.

As relações entre a China e os Estados Unidos pioraram após Trump irritar Pequim em dezembro ao aceitar um telefonema da presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, e ameaçar impor tarifas sobre importações chinesas.

A China considera Taiwan uma província rebelde, sem direitos de relações diplomáticas formais com quaisquer outros países.

Mas a China está comprometida com a paz, disse Wang, após encontro com a ministra das Relações Exteriores da Austrália, Julia Bishop.

"Não pode haver conflito entre a China e os Estados Unidos, à medida que ambos lados irão perder e ambos lados não podem permitir isto", disse a repórteres na capital australiana, Canberra.

Embora busque reduzir tensões, Wang pediu para que líderes globais rejeitem o protecionismo, o qual Trump apoiou com seus planos econômicos de "América primeiro".

"É importante se comprometer firmemente a um mundo econômico aberto", acrescentou Wang. "É importante levar a globalização econômica em direção à maior inclusão, benefícios compartilhados mais amplos em uma maneira mais sustentável".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters