Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PEQUIM (Reuters) - A China prometeu dar mais suporte ao seu exército no domingo, incluindo o fortalecimento das defesas marítimas e aéreas, conforme adota medidas para assegurar sua soberania, mas em um movimento altamente incomum não revelou os números de investimento para 2017, apesar das promessas de transparência.

A porta-voz do parlamento, Fu Ying, disse neste domingo que os gastos com defesa para este ano subiriam cerca de 7 por cento, correspondendo a 1,3 por cento do produto interno bruto – o mesmo nível que o dos últimos anos.

No entanto, a atual meta de gastos com defesa para este ano não estava inclusa no orçamento do país, divulgado durante a abertura da sessão anual do parlamento no domingo, como esteve nos últimos anos.

"Nós apoiaremos os esforços para aprofundar as reformas das defesas nacionais e das forças armadas, com o objetivo de construir uma defesa sólida e forças militares robustas que são comparáveis à posição internacional da China e adequadas a nossa segurança nacional e interesses de desenvolvimento", disse o governo em um relatório orçamentário.

(Por Christian Shepherd e Philip Wen)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters