Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

China lança sonda para explorar lado escuro da lua - Xinhua

Por Stella e Qiu e Ben e Blanchard

PEQUIM (Reuters) - A China lançou neste sábado a primeira sonda para explorar o lado escuro da Lua, registrando mais um marco em seu ambicioso programa espacial, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

A sonda, a Chang'e-4, deve fazer a primeira aterrissagem suave do outro lado da Lua, segundo a Xinhua. Espaçonaves anteriores já viram o outro lado da Lua, mas nenhum pousou nele.

A Lua está presa à Terra, girando na mesma velocidade que orbita nosso planeta, então o lado distante nunca é visível da Terra.

O avanço do programa espacial da China tem sido uma prioridade de seus líderes, com o presidente Xi Jinping pedindo que a China se estabeleça como uma potência espacial.

Às 2:23 da madrugada deste sábado (16:23 no Brasil), um foguete Longa Marcha-3B, transportando a sonda, incluindo um veículo espacial e um jipe, partiu do centro de lançamento de satélites Xichang, no sudoeste da China, informou a Xinhua.

As tarefas da sonda Chang'e-4 incluem observação radio-astronômica de baixa freqüência, pesquisa do terreno e o relevo, detecção da composição mineral e mediação da radiação de nêutrons e os átomos neutros para estudo do ambiente do outro lado da Lua, informou a Xinhua citando a Administração Nacional do Espaço da China.

A China pretende alcançar a Rússia e os Estados Unidos para se tornar uma grande potência espacial até 2030. Está planejando lançar a construção de sua própria estação espacial tripulada no ano que vem.

No entanto, enquanto a China insiste que suas ambições são puramente pacíficas, o Departamento de Defesa dos EUA acusou-a de realizar atividades destinadas a impedir que outras nações usem ativos espaciais durante uma crise.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Longform The citizens' meeting

Teaser Longform The citizens' meeting

advent calendar

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.