Reuters internacional

Leão resgatado de circo na América Latina chega em um santuário na África do Sul. 01/05/2016 REUTERS/Siphiwe Sibeko

(reuters_tickers)

JOHANESBURGO (Reuters) - Guardas-florestais armados e policiais da África do Sul vasculharam fazendas ao redor de uma pequena cidade perto da fronteira com Moçambique, nesta terça-feira, em busca de cinco leões que escaparam do principal parque nacional do país.

Os animais fugiram do parque Kruger na manhã de segunda-feira perto de Komatipoort, uma comunidade de aproximadamente 5 mil pessoas.

"Nós acreditamos que são cinco leões e que eles estão nos campos de cana de açúcar perto da fronteira com Moçambique", disse o porta-voz do parque, Reynold Thakuli.

A área ao redor do parque --uma das principais atrações turísticas do país-- contém vilarejos e fazendas que também criam gado, colocando animais, assim como pessoas, em risco de um ataque dos leões.

Em 2015, um leão chamado Sylvester passou por baixo de uma cerca elétrica em outro parque, matando ovelhas por três semanas antes de ser encontrado por guardas-florestais enquanto tirava um cochilo.

O felino foi libertado no início deste ano de uma área murada de 200 hectares para viver em liberdade.

A África do Sul é praticamente o único país da África que contém perigosos animais selvagens desse porte em reservas cercadas.

Em outros Estados africanos, em que os governos não têm os recursos necessários para operações de captura, leões e outros animais frequentemente vagam do lado de fora de fronteiras de áreas protegidas.

(Reportagem de Ed Stoddard e Tiisetso Motsoeneng)

Reuters

 Reuters internacional