Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

SHENYANG, China (Reuters) - As cinzas do falecido ganhador do Prêmio Nobel da Paz e dissidente Liu Xiaobo foram lançadas ao mar neste sábado, disse o irmão de Liu, em um ato descrito por um amigo da família como um esforço de apagar qualquer memória dele.

Liu, 61, morreu de falência múltipla dos órgãos na quinta-feira em um hospital na cidade de Shenyang, onde estava sendo tratado por causa de um câncer no fígado em estágio avançado, tendo recebido condicional médica, mas não liberdade.

Ele havia sido preso por 11 anos em 2009 por "incitar a subversão do poder estatal" após ajudar a escrever uma petição conhecida como "Carta 08" pedindo por reformas políticas abrangentes.

A viúva, Liu Xia, esteve sob efetiva prisão domiciliar desde que seu marido venceu o Prêmio Nobel em 2010, mas foi liberada para visitá-lo na prisão aproximadamente uma vez por mês. Ela nunca foi formalmente acusada de nenhum crime.

Falando em uma coletiva de imprensa organizada pelo governo, o irmão mais velho de Liu Xiaobo, Liu Xiaoguang agradeceu diversas vezes o Partido Comunista por seu cuidado considerando a "situação especial" do dissidente.

"Por que Liu Xia não veio aqui? Sua saúde está muito fraca no momento", disse Liu Xiaoguang, sentado entre uma intérprete de língua inglesa e uma autoridade do governo de Shenyang. "Então ela não pode vir. É muito lamentável."

Após falar por cerca de 20 minutos, Liu foi escoltado por duas mulheres não identificadas e acendeu um cigarro em sua boca, e não respondeu questões dos jornalistas ao seu redor.

O governo então mostrou imagens das cinzas sendo jogadas de um barco.  

(Por Joseph Campbell)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters