Reuters internacional

Por Hamuda Hassan

MOSUL (Reuters) - Os corpos de dezenas de civis mortos nos últimos dois dias ao fugir de um bairro comandado pelo Estado Islâmico em Mosul, Iraque, permanecem neste sábado em uma rua próxima à linha de frente do combate entre militantes e as forças armadas iraquianas, informou uma equipe da Reuters TV.

Entre os mortos estão homens, mulheres e crianças. Sacos e bolsas em que as vítimas levavam seus pertences foram espalhados pela estrada que sai do distrito de Zanjili, um dos três ainda nas mãos do Estado Islâmico em Mosul.

"Nos últimos dois dias, o ISIS tem atacado pessoas que escapam desta área", disse Dave Eubank, do grupo humanitário Free Burma Rangers, referindo-se ao Estado Islâmico e falando de um prédio com vista para a linha de frente do conflito em Zanjili. "Eu vi mais de 50 cadáveres ontem, e ainda há mais", disse ele à Reuters.

Centenas conseguiram chegar às áreas comandadas pelo governo, alguns dos quais estavam feridos e outros que carregavam aparentemente cadáveres em cobertores, chorando e gritando. Um homem carregava uma criança inconsciente.

"Nós estávamos em um grupo de 200 a 250 civis, um Daesh veio entre nós e um aviador nos atingiu, ficamos todos feridos, mas ele (o militante do ISIS) escapou", disse um ferido.

As forças do governo iraquiano retomaram o leste de Mosul em janeiro e começaram uma nova ofensiva em 27 de maio para capturar o restante do enclave do Estado Islâmico no lado oeste da cidade, onde cerca de 200 mil pessoas estão presas em condições difíceis.

Reuters

 Reuters internacional