Por Keith Coffman

DENVER (Reuters) - Autoridades do Estado norte-americano do Colorado colocaram a escola de Columbine e ao menos uma dúzia de outras instituições de ensino públicas sob um alerta de segurança "lockout" nesta terça-feira, citando a investigação de uma "ameaça crível" não especificada.

O alerta vem quatro dias antes do 20º aniversário do massacre de Columbine, quando dois estudantes fortemente armados da escola nos subúrbios de Denver assassinaram 12 colegas de classe e um professor antes de cometerem suicídio.

O "lockout" desta terça-feira, categoria menos séria que um "lockdown" em termos de segurança pública, significa que as atividades dentro das escolas podem prosseguir normalmente, mas que entrada e saída são restritas, disse no Twitter o Escritório do Xerife do Condado de Jefferson.

Autoridades estavam "investigando o que parece ser uma ameaça crível possivelmente envolvendo as escolas", afirmou o departamento no Twitter, acrescentando que os estudantes estavam seguros e que representantes adicionais foram despachados para as escolas.

Porta-voz do escritório do xerife, Mike Taplin disse que o aniversário do assassinato em massa de Columbine não é um fator "direto" na ameaça.

Alertas e exercícios de segurança se tornaram comuns em escolas públicas ao redor dos Estados Unidos nos anos que seguiram ao massacre de Columbine, à medida que violência por armas em campi aumentou.

Apenas nas escolas públicas de Denver, ocorreram 22 "lockdowns" e 294 "lockouts" durante os dois últimos anos letivos, de acordo com dados fornecidos ao jornal "Denver Post" pelo departamento escolar.

(Reportagem de Keith Coffman em Denver)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.