Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Lojas fechadas são vistas em rua de Abidjan, na Costa do Marfim. 15/05/2017 REUTERS/Thierry Gouegnon

(reuters_tickers)

ABIDJAN (Reuters) - Comércios de cacau, bancos e prédios do governo de Daloa, reduto de cacau na Costa do Marfim, fecharam as portas nesta segunda-feira, segundo moradores, em meio a tiroteios relacionados a um motim militar que dura quatro dias.

"Todo o comércio está fechado aqui em Daloa. Os bancos estão fechados e também as empresas de compra de cacau", disse Aka Marcel, um gerente de cooperativa de agricultura em Daloa. "Os soldados estão nas ruas a pé e em motos. Eles estão atirando para o alto".

A associação de bancos da Costa do Marfim, a APBEF, pediu que todos os bancos da nação do oeste da África permaneçam fechadas nesta segunda-feira.

"Houve uma reunião de emergência nesta manhã e a APBEF decidiu que, por razões de segurança, todos os bancos vão continuar fechados", disse uma autoridade do Banque Atlantique, que quis se manter anônima, à Reuters.

(Reportagem de Loucoumane Coulibaly e Joe Bavier)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters