Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Andrea Shalal

BERLIM (Reuters) - O chefe da segurança da aviação militar alemã lançou uma nova iniciativa contra ameaças cibernéticas, citando uma pesquisa a qual, segundo ele, mostra que hackers podem comandar aeronaves militares com ajuda de equipamentos que custam cerca de 5 mil euros.

Um porta-voz do Ministério da Defesa disse à Reuters que o desenvolvimento de “conhecimento cibernético da aviação” irá cobrir tudo, desde aumento de consciência sobre ameaças cibernéticas até projetos de pesquisas técnicas e instalação de sistemas protetores em aeronaves.

    A secretária de Estado Katrin Suder apoiou a ideia, que o major-general Ansgar Rieks, chefe da Autoridade da Aviação Militar Alemã, propôs em carta em junho, disse o porta-voz.

    Rieks disse na semana passada estar enervado por uma demonstração do Centro Aeroespacial Alemão (DLR), financiado pelo governo e localizado na Baviera, que mostrou que hackers podem assumir controle de uma aeronave com equipamentos baratos.

    "Isto me assusta. Escrevi à secretária de Estado sobre isso e disse que fazer nada resultaria em negligência grosseira", disse em conversa durante conferência em Bueckeburg, na Alemanha. Ele salientou que a questão também é uma preocupação vital para a aviação civil.

    Ele disse que autoridades militares precisam se concentrar não somente em possíveis problemas com softwares de computadores, mas também devem trabalhar para "garantir que aeronaves não possam ser tomadas pelo chão, ou possivelmente por um passageiro no ar."

    Um porta-voz do DLR, que estudou amplamente segurança cibernética da aviação, não possuía comentários imediatos sobre a questão.

    As Forças Militares da Alemanha lançaram neste ano um novo comando cibernético que agrupa unidades cibernéticas pelas forças, que também estarão envolvidas na nova iniciativa cibernética na aviação.

Reuters