Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MADRI (Reuters) - A Catalunha irá criar uma comissão especial para investigar alegações de abuso pela polícia espanhola durante o referendo de independência no domingo, depois que mais de 800 pessoas ficaram feridas, disse o líder da região, Carles Puigdemont, nesta segunda-feira.

Milhares de policiais espanhóis foram enviados à região para evitar a votação de independência, que foi considerada ilegal pela Justiça. Cenas de violência causadas por táticas violentas por parte das forças de segurança receberam condenação internacional.

A votação, que foi banida pela Corte Constitucional e considerada ilegal pelo governo central de Madri, mas mesmo assim atraiu milhões de eleitores desafiadores, foi válida e legalmente vinculante, disse Puigdemont.

O líder da Catalunha disse que não teve contato com o governo central da Espanha e pediu que o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, diga se é a favor ou não de mediação nas conversas sobre o futuro da região, que devem ser supervisionadas pela União Europeia.

(Reportagem de Inmaculada Sanz)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters