Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - Um comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) disse nesta quarta-feira que tem alegações críveis de que autoridades da Coreia do Norte torturaram ou maltrataram crianças forçadas a voltar do exterior ou mantidas sob detenção.

O organismo também pediu que Pyongyang ponha fim ao trabalho infantil em fazendas, minas e construções e à discriminação de jovens pelos "crimes" de seus pais.

O Comitê para os Direitos da Criança da ONU, que analisou o histórico de Pyongyang no mês passado, expressou uma preocupação profunda com o que chamou de "doutrinação ideológica" em seu sistema educacional e com a desnutrição entre crianças norte-coreanas.

"De fato temos relatos, que são críveis, de que crianças são, ao menos até certo ponto, torturadas ou expostas a tratamento violento por parte das autoridades em várias circunstâncias", disse Kirsten Sandberg, membro do comitê, em um boletim à imprensa.

"Isso pode acontecer quando elas voltam ao país depois de terem tentado ficar no exterior e são forçadas a retornar. Acontece na fronteira, ouvimos relatos sobre tratamento violento", disse.

Os casos envolveram sobretudo crianças norte-coreanas voltando da China, contou Sandberg, acrescentando: "Também temos relatos de gestantes voltando ou sendo forçadas a retornar que não têm permissão de ficar com os bebês".

"Também temos relatos de violência contra crianças sob detenção", completou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters