Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Flynn chega para entrevista na Casa Branca. 13/2/2017. REUTERS/Carlos Barria

(reuters_tickers)

(Reuters) - O conselheiro de segurança nacional norte-americano Michael Flynn desfruta da "plena confiança" do presidente Donald Trump, disse uma assessora da Casa Branca na segunda-feira, num momento em que Flynn tenta superar uma controvérsia sobre seus contatos com autoridades russas antes de Trump assumir o cargo.

A declaração da assessora da Casa Branca Kellyanne Conway a jornalistas foi um sinal de que Flynn não está em perigo iminente de perder seu emprego, embora um funcionário do governo tenha reconhecido que o conselheiro se encontra numa posição difícil.

Ainda assim, chamou a atenção que Trump não tenha usado a oportunidade de uma entrevista coletiva com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, na segunda-feira, para dar uma declaração pública de apoio a Flynn.

"O general Flynn tem a plena confiança do presidente", disse Conway.

Importantes autoridades da Casa Branca têm analisado os contatos de Flynn com os russos e se ele discutiu a possibilidade de levantar as sanções dos Estados Unidos sobre a Rússia uma vez que Trump tomasse posse, o que poderia estar em violação de uma lei que proíbe cidadãos privados de se envolverem na política externa, conhecida como Logan Act.

O ex-tenente-general do Exército norte-americano havia negado inicialmente ter discutido as sanções com os russos nas semanas antes de Trump assumir o cargo em 20 de janeiro, e o vice-presidente, Mike Pence, repetiu na TV a negativa e defendeu Flynn.

Mas quando uma notícia do Washington Post surgiu na semana passada, citando autoridades dizendo que o assunto das sanções havia vindo à tona, Flynn deixou em aberto a possibilidade de ter discutido as sanções, mas disse que não conseguia se lembrar com 100 por cento de certeza.

Kellyanne Conway disse que Flynn falou duas vezes a Pence sobre o incidente na sexta-feira, incluindo uma vez pessoalmente. Uma funcionário do governo havia dito que Flynn se desculpara pessoalmente com Pence, que se disse preocupado com a possibilidade de ter sido enganado.

Não havia nenhuma indicação vinda das transcrições das conversas de Flynn, de que ele teria prometido levantar as sanções mas em vez disso havia comentários mais gerais sobre a esperança para melhores relações entre os EUA e a Rússia com Trump, disse uma autoridade norte-americana.

Reuters