Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Conservador François Fillon recupera segundo lugar na corrida presidencial francesa. 21/02/2017. REUTERS/Christian Hartmann

(reuters_tickers)

PARIS (Reuters) - O político francês de centro Emmanuel Macron perdeu terreno para seu adversário mais próximo na disputa eleitoral pela Presidência da França, o conservador François Fillon, e pode não conseguir uma vaga no segundo turno em 7 de maio contra a líder da extrema direita Marine Le Pen, mostrou pesquisa de opinião nesta terça-feira.

A pesquisa dá a Fillon a posição de favorito para chegar à Presidência --posto que ele perdeu após um escândalo envolvendo um suposto trabalho fantasma de sua mulher que atingiu sua campanha há quatro semanas. Outros levantamentos recentes o mostraram em disputa acirrada com Macron.

A emissora BFM TV disse que a pesquisa Elabe que contratou apontou que Le Pen, que lidera a anti-imigração e anti-União Europeia Frente Nacional, garantirá facilmente a ida ao segundo turno, ficando com entre 27 e 28 por cento dos votos no primeiro turno em 23 de abril.

Mas tanto Fillon quanto Macron conseguiriam votos suficientes um do outro e na esquerda para derrotá-la confortavelmente no segundo turno --Macron venceria por 59 a 41 por cento, enquanto Fillon seria eleito por 56 a 44 por cento.

A pesquisa coloca Macron, um ex-banqueiro de investimentos e ex-ministro da Economia, com entre 17 e 18 por cento dos votos no primeiro turno, enquanto Fillon, um ex-primeiro-ministro de direita, somaria entre 20 e 21 por cento.

Fillon era favorito para receber as chaves do Palácio do Eliseu até o final de janeiro, quando seus índices caíram nas pesquisas por causa de um escândalo envolvendo pagamentos com recursos estatais para sua esposa por trabalho que ela não teria feito.

Fillon se desculpou inúmeras vezes pelos milhares de euros dos contribuintes que foram pagos a sua esposa, mas tem negado que o trabalho dela tenha sido fantasma e que não fez nada ilegal.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters