Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos EUA, Donald Trump. ao lado de seu filho, Donald Trump Jr., em Nova York 26/09/2016 REUTERS/Mike Segar

(reuters_tickers)

Por Doina Chiacu e Arshad Mohammed

WASHINGTON (Reuters) - O filho mais velho do então candidato à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump concordou de bom grado em se encontrar com uma mulher que lhe disseram ser uma advogada do governo russo que poderia ter informações incriminando a rival democrata Hillary Clinton, parte do apoio do governo da Rússia a seu pai, de acordo com um email encaminhado divulgado nesta terça-feira.

O email encaminhado foi uma correspondência entre Donald Trump Jr., que o postou no Twitter, e Rob Goldstone, um intermediário que ajudou a arranjar o encontro com a advogada, e pode dar munição a investigadores que analisam se houve conluio entre o Kremlin e a campanha presidencial de Trump – o que as duas partes negam.

"O Procurador da Coroa da Rússia... se ofereceu para fornecer à campanha Trump alguns documentos e informações oficiais que incriminariam Hillary e seus negócios com a Rússia e seria muito útil para seu pai", disse o email de 3 de junho de 2016 enviado pelo empresário Rob Goldstone a Donald Trump Jr.

"Isso obviamente é informação de nível muito alto e sigilosa, mas é parte do apoio da Rússia e de seu governo ao senhor Trump", afirma o email publicado por Trump Jr. no Twitter.

"Se é o que você diz, adorei, especialmente no final do verão", respondeu Trump Jr. parcialmente na conversa, que ele disse representar toda as mensagens trocadas sobre a reunião, que acabou acontecendo em 9 de junho de 2016.

A troca de mensagens inclui ao menos um erro. A Rússia, que deixou de ser uma monarquia depois da Revolução Russa, não tem um "Procurador da Coroa", e sim um Procurador-Geral. Um porta-voz do Procurador-Geral não quis comentar de imediato.

Os mercados financeiros pareceram se abalar com a revelação repentina de Trump Jr.

Após seus tuítes, o índice S&P 500 recuou cerca de 0,6 por cento em cerca de 20 minutos, mas desde então subiu cerca de metade desse valor. O índice do dólar, a medida mais abrangente da força da moeda norte-americana, enfraqueceu cerca de 0,25 por cento, e o rendimento dos títulos dos EUA recuou aos níveis mais baixos do dia.

À primeira vista os emails não parecem fornecer indícios de atividade ilegal, e Trump Jr. disse que a reunião que teve com a advogada russa, combinada por meio de Goldstone, envolveu essencialmente sanções dos EUA.

(Reportagem adicional de Maria Tsvetkova, Denis Pinchuk e Svetlana Reiter em Moscou, Mark Hosenball em Londres e Lindsey Kortyka em Nova York)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters