Reuters internacional

Por Ju-min Park e Soyoung Kim

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte lançou o que pareceram ser vários mísseis terra-mar a partir de seu litoral leste nesta quinta-feira, disseram os militares da Coreia do Sul, um dia depois de Seul adiar a instalação total de um polêmico sistema antimísseis dos Estados Unidos concebido para conter um eventual ataque norte-coreano.

Os lançamentos, os mais recentes de uma série de testes de mísseis de rápida sucessão em desafio à pressão internacional para a Coreia do Norte refrear seu programa de armas, acontecem menos de uma semana depois de o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) ter aprovado novas sanções contra o Estado recluso.

Na quarta-feira, a Coreia do Sul disse que irá postergar a instalação dos componentes restantes do sistema antimísseis dos EUA conhecido como Thaad, que revoltou a China, principal aliada do Norte, em meio a sinais iniciais de atenuação das tensões entre os dois países.

Os mísseis foram disparados na manhã desta quinta-feira da cidade litorânea de Wonsan e voaram cerca de 200 quilômetros, informou o Escritório do Estado-Maior Conjunto sul-coreano em um comunicado.

Sob o comando do líder Kim Jong Un, a Coreia do Norte vem realizando testes de mísseis em um ritmo inédito na tentativa de desenvolver um míssil balístico intercontinental capaz de atingir o território continental dos EUA.

Comparados aos diferentes tipos de mísseis balísticos que Pyongyang testou recentemente, os mísseis lançados nesta quinta-feira são considerados de natureza mais defensiva, projetados para defender contra ameaças como navios de guerra inimigos.

A Coreia do Norte revelou uma série de armas novas em uma grande parada militar no dia 15 de abril para marcar o aniversário de nascimento do líder fundador da nação, e desde então testou algumas delas.

"O que pareceu ser um novo tipo de míssil terra-mar equipado com quatro tubos de lançamento foi revelado na parada", disse Kim Dong-yub, especialista militar de Estudos do Oriente Distante da Universidade Kyungnam de Seul. "Acho que pode ser o que foi usado hoje".

O lançamento desta quinta-feira foi o quarto teste de míssil norte-coreano desde que o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, tomou posse em 10 de maio prometendo dialogar com Pyongyang. Moon diz que só sanções e pressão não resolveram a ameaça crescente dos programas nuclear e de mísseis em desenvolvimento no Norte e também prometeu rever a instalação do Thaad, decidida por sua antecessora conservadora, Park Geun-hye.

(Reportagem adicional de Christine Kim, em Seul, e Christian Shepherd e Ben Blanchard, em Pequim)

Reuters

 Reuters internacional