Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mulheres muçulmanas ao lado de caixões de seus parentes, identificados como vítimas do massacre de Srebrenica em 1995, na Bósnia e Herzegovina. 11/07/2016 REUTERS/Dado Ruvic

(reuters_tickers)

Por Stephanie van den Berg

HAIA (Reuters) - Um tribunal de apelações holandês confirmou nesta terça-feira que a Holanda foi parcialmente responsável pelas mortes de cerca de 300 muçulmanos que foram expulsos de uma base holandesa da Organização das Nações Unidas (ONU) depois que a área circundante foi dominada por soldados bósnio-sérvios.

O veredicto da Corte de Apelações de Haia manteve uma decisão de 2014 segundo a qual as tropas pacificadoras da Holanda deveriam ter sabido que os homens, que buscavam refúgio na base próxima de Srebrenica, seriam assassinados pelos soldados bósnio-sérvios se fossem obrigados a partir, como foram.

São raras as ocasiões em que Estados que participam de missões pacificadoras da ONU enfrentam ações legais devido à sua atuação.

Lenneke Sprik, conferencista de segurança internacional da Universidade VU de Amsterdã, disse que o veredicto foi "muito importante para missões pacificadoras futuras e para a lei sobre responsabilidade estatal". Segundo ela, a decisão pode impedir que países ofereçam soldados pacificadores a missões futuras.

Cerca de 8 mil homens e meninos muçulmanos foram mortos por tropas bósnio-sérvias sob o comando do ex-general Ratko Mladic em Srebrenica em julho de 1995, a pior matança coletiva em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial.

Muitas das vítimas muçulmanas haviam fugido para a "zona segura" declarada pela ONU em Srebrenica, mas ali se depararam com soldados holandeses em número menor e com armas leves incapazes de defendê-los, e depois encaminhados para a base holandesa.

A decisão só diz respeito aos 300 homens que buscaram segurança na base e dita que a Holanda só deve pagar 30 por cento dos danos, já que estimou em 70 por cento a probabilidade de que as vítimas teriam sido retiradas à força da base e assassinadas independentemente do que os soldados holandeses fizessem.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters