Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os cinco juízes da Corte de Constitucionalidade guatemalteca decidiram no domingo conceder um amparo e deixar em suspenso a decisão do presidente Jimmy Morales de expulsar o chefe de uma comissão anticorrupção da Organização das Nações Unidas.

"Esta corte concede amparo provisório e suspende a decisão do presidente (...) portanto informamos a ministra das Relações Exteriores e o Ministério da Defesa e de Governo que se abstenham de cumprir a referida ordem", disse o presidente do tribunal, José Francisco Mata.

O presidente da Guatemala declarou no domingo como persona non grata e determinou a saída imediata do país de Iván Velásquez Gómez, advogado colombiano designado pela ONU para chefiar uma comissão que apura denúncias de fraudes eleitorais cometidas pelo presidente durante a campanha que o levou a vencer as eleições de 2015.

A procuradora-geral da Guatemala, Thelma Aldana, que ameaçou renunciar se o comissário Velásquez deixasse o país, permanecerá no cargo após uma decisão da corte, disse um porta-voz da promotoria.

(Reportagem de Sheky Espejo)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters