Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Karolos Grohmann

LIMA (Reuters) - A escalada da crise na Coreia do Norte até agora "não deu sinais" de representar uma ameaça à segurança da Olimpíada de Inverno de 2018 em Pyeongchang, na Coreia do Sul, afirmou o Comitê Olímpico Internacional (COI) na segunda-feira.

Horas depois de o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovar por unanimidade uma intensificação nas sanções contra a Coreia do Norte em reação a seu sexto e mais poderoso teste nuclear, realizado em 3 de setembro, o presidente do COI, Thomas Bach, disse que até o momento os Jogos do ano que vem não estão ameaçados.

No início deste mês Pyongyang realizou seu maior teste de bomba nuclear, provocando uma condenação internacional e levando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a dizer que o "apaziguamento" não funcionará.

"Até agora não há o menor sinal de que exista uma ameaça à segurança dos Jogos no contexto das tensões entre a Coreia do Norte e alguns outros países", disse Bach a repórteres.

"Estamos em contato com os governos em questão. Em todas estas conversas com figuras de destaque dos diferentes governos podemos ver que não se está pondo em dúvida os Jogos de Inverno de 2018".

Bach disse estar torcendo por uma solução diplomática antes da Olimpíada começar, em fevereiro do próximo ano, e que a porta está aberta à participação de atletas norte-coreanos. O dirigente disse ainda que o COI está pronto para apoiar os norte-coreanos em seus esforços para se classificarem.

"Também estamos mantendo a porta aberta para os atletas da RDPC (República Democrática Popular da Coreia, nome oficial do país). Os Jogos estão abertos a todos os comitês olímpicos nacionais. Este contato continua", afirmou Bach.

"Estamos acompanhando os atletas norte-coreanos que participam de eventos eliminatórios. Oferecemos apoio para estes atletas, quando necessário, ao comitê olímpico nacional".

Em julho, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que seu vizinho do norte terá até o último minuto para decidir se participará ou não da Olimpíada. Nenhum de seus atletas atendeu os padrões de classificação.

Os Jogos de Pyeongchang, a primeira Olimpíada de Inverno asiática sediada fora do Japão, acontecerá entre 9 e 25 de fevereiro de 2018.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters