Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

HAVANA (Reuters) - Cuba realizará na próxima semana exercícios militares com ações de campos de tiro e movimentação de tropas, tanques e canhões, em preparação para uma eventual agressão dos Estados Unidos, disse a imprensa local neste sábado.
As manobras militares, chamadas de "Bastión 2009", devem acontecer entre os dias 26 e 29 deste mês em todo o país e serão as primeiras previstas pelo governo cubano desde que Barack Obama assumiu a presidência dos EUA em janeiro deste ano.
"A realização do Exercício Estratégico Bastión-2009... é uma necessidade de primeira ordem dada a atual situação político-militar que caracteriza a relação entre Cuba e o império (os Estados Unidos)", disse o general Leonardo Andollo, alta autoridade do Ministério de Defesa cubano ao diário Granma.
Cuba e Estados Unidos têm uma relação conflituosa desde a revolução que levou Fidel Castro ao poder, em 1959.
Neste ano, o presidente Barack Obama prometeu retomar os laços com Cuba e eliminou algumas sanções impostas ao país, para que cidadãos norte-americanos possam visitar ou enviar dinheiro a seus familiares na ilha.
Além disso, Obama disse que apoia os contatos pessoais entre cubanos e norte-americanos, mas que não pretende retirar o embargo de quase meio século até que o governo da ilha mostre avanços na questão dos direitos humanos.
Washington reiterou, ainda, que não tem intenção de utilizar força militar em Cuba, mas mantém o país na sua lista dos chamados "patrocinadores do terrorismo".
O exercício militar "possibilitará elevar a capacidade dissuasiva para evitar um confronto militar", destacou o jornal do Partido Comunista.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters