Reuters internacional

Por Sunil Kataria

GUWAHATI (Reuters) - O Dalai Lama chegou neste sábado ao Estado de Assam, no nordeste da Índia, antes de uma visita ao vizinho Arunachal Pradesh, uma região administrada por Nova Délhi mas reivindicada por Pequim.

A viagem do líder espiritual tibetano deve alimentar tensões entre a Índia e a China sobre questões estratégicas, como os laços crescentes da China com o Paquistão, rival da Índia. A China reivindica a região nos Himalaias orientais como o "Tibete Sul".

O Dalai Lama disse à Reuters TV no aeroporto da cidade de Guwahati, em Assam, que sua visita visa promover a harmonia religiosa.

Ele declarou estar feliz por voltar a uma região que reavivou suas memórias de fuga do Tibete em 1959, depois de um levante fracassado contra o governo chinês.

"Eu ainda sinto a sensação daquele tempo", disse ele.

A China, que considera o Dalai Lama como um separatista perigoso, disse na sexta-feira que "se opôs resolutamente" à visita e exortou a Índia a "evitar tomar medidas que complicariam ainda mais a questão da fronteira".

Um funcionário do governo indiano disse na sexta-feira que a visita do Dalai Lama era religiosa, não política. 

Reuters

 Reuters internacional