Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Casa Branca, em Washington 12/09/2017 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

Por Richard Cowan e Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e líderes democratas do Congresso concordaram em trabalhar juntos em uma legislação para proteger os "dreamers", os imigrantes ilegais que eram crianças quando entraram no país, disseram os parlamentares de oposição na quarta-feira, embora tenha surgido um desentendimento sobre o que exatamente foi acertado.

Após um jantar com Trump na Casa Branca, o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, e a líder democrata na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, disseram que a "reunião produtiva" se concentrou no "Daca", programa de proteção a crianças imigrantes criado pelo ex-presidente Barack Obama.

"Concordamos em entronizar as proteções do Daca na lei rapidamente e em conceber um pacote de segurança de fronteira, excluindo o muro, que seja aceitável para os dois lados", disseram Schumer e Pelosi em um comunicado.

Durante o ano todo os democratas vêm insistindo em dizer que bloquearão qualquer legislação que contenha financiamento para um muro na longa divisa dos EUA com o México, uma das principais promessas de campanha de Trump que muitos republicanos do Congresso tampouco apoiam.

Embora autoridades da Casa Branca tenham insinuado que a legislação do Daca pode ir adiante sem fundos para o muro, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, contestou a caracterização segundo a qual se chegou a um acordo para deixá-lo de fora de qualquer legislação centrada nos "dreamers".

"Embora o Daca e a segurança de fronteira tenham sido debatidos, excluir o muro certamente não foi combinado", disse ela no Twitter.

Durante sua campanha presidencial de 2016, e desde que tomou posse em janeiro, Trump vem exigindo a construção de um muro para impedir a entrada de imigrantes ilegais e drogas. Inicialmente ele afirmou que o México pagaria pela obra, mas solicitou dinheiro para o Congresso depois que o vizinho se recusou a pagar.

O jantar foi o esforço mais recente de uma nova iniciativa de Trump de trabalhar com membros do partido opositor em itens importantes da pauta legislativa.

Após o encontro, uma autoridade da Casa Branca disse que o presidente, Schumer e Pelosi discutiram a reforma tributária, imigração, segurança de fronteira, investimentos em infraestrutura e comércio, parte do empenho de Trump de se aproximar dos democratas.

"O governo espera continuar estas conversas com a liderança dos dois partidos", disse o funcionário.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters