Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ex-jogador de basquete norte-americano Dennis Rodman, após chegar da Coreia do Norte, no aeroporto de Pequim, China 17/06/2017 REUTERS/Thomas Peter

(reuters_tickers)

EDIMBURGO (Reuters) - O ex-jogador de basquete norte-americano Dennis Rodman disse nesta quarta-feira que pratica esqui e canta caraoquê com seu amigo Kim Jong Un, o líder da Coreia do Norte, e que gostaria de "esclarecer as coisas" em meio ao impasse nuclear com os Estados Unidos.

Rodman já fez várias visitas a Kim no país isolado, mas os dois raramente falaram de política, disse o astro aposentado da NBA no programa de televisão britânico "Good Morning Britain".

A Coreia do Norte realizou uma série de testes nucleares e de mísseis, e o presidente dos EUA, Donald Trump, respondeu com alertas de uma reação militar "maciça".

"Para mim, ir para lá e vê-lo (Kim) tanto quanto vi, basicamente passo o tempo todo saindo com ele. Rimos, cantamos caraoquê, fazemos um monte de coisas legais juntos. Andamos a cavalo, saímos, esquiamos, quase nunca falamos de política, e esse é o lado bom", disse Rodman, segundo uma transcrição.

O ex-jogador expressou admiração por Trump, mas disse que o presidente norte-americano é "um pouquinho louco às vezes".

Rodman esteve na Coreia do Norte pela última vez em junho, e visitas anteriores alimentaram rumores de que ele poderia facilitar uma aproximação entre Pyongyang e Washington, mas seus comentários sobre Kim também despertaram sarcasmo.

Rodman afirmou que não está tentando defender as ações de Kim e que é "só um embaixador dos esportes". Ele disse que o relacionamento entre os EUA e a Rússia mudou, "mas por algum motivo temos um grande problema com a Coreia do Norte".

"Eu não o amo (Kim). Só quero tentar esclarecer as coisas para todos se darem bem".

(Por Elisabeth O'Leary)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters