Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ACRA (Reuters) - Ao menos 14 pessoas ficaram desaparecidas e presume-se que estejam mortas depois que uma mina de ouro ilegal onde trabalhavam desmoronou no oeste de Gana, informou a polícia nesta terça-feira.

Cinco pessoas escaparam ilesas na antiga cidade mineradora de Prestea, que fica cerca de 200 km ao oeste da capital, Acra.

"Aproximadamente 19 pessoas entraram no buraco e apenas cinco saíram vivas. Já passaram 48 horas agora e a presunção é que as 14 estejam mortas", disse à Reuters o chefe da polícia local, Atsu Dzineku.

Segundo maior produtor de ouro da África depois da África do Sul, Gana tem lutado para controlar a mineração ilegal, que polui fontes de água e ameaça a produção de cacau, à medida que os mineradores assumem o controle de fazendas do fruto.

O governo do presidente Nana Akufo-Addo, que tomou posse em janeiro, baniu temporariamente a mineração artesanal, em um renovado esforço para reduzir operadores ilegais.

A mineração artesanal é comum no oeste e no centro da África e acidentes são frequentes, principalmente nas temporadas de chuva. Dezenas de mineradores ilegais morreram após ficarem presos em um acidente no centro de Gana há dois anos.

(Reportagem de Kwasi Kpodo)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters