Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Julia Symmes Cobb e Nelson Bocanegra

BOGOTÁ (Reuters) - Um deslizamento de terra na província colombiana de Putumayo jogou lama e destroços sobre casas durante a noite, matando 154 pessoas mortas e ferindo muitas outras, de acordo com as autoridades neste sábado.

Chuvas fortes causaram o transbordamento de vários rios, jogando sedimentos contra casas e estradas na capital provincial de Mocoa. 

O presidente Juan Manuel Santos vou para Mocoa, que tem uma população de 345 mil, para supervisionar os esforços de resgate e falar com as famílias afetadas

"Faremos todo o possível para ajudá-los", disse Santos após confirmar o número de mortos.

As autoridades trabalham para determinar o número de desaparecidos, disse Santos. Quase 200 pessoas estão feridas, segundo o Ministério da Defesa, e mais de 1.100 soldados e policiais foram convocados para ajudar.

"Enviamos uma equipe de 150 pessoas para dar uma resposta efetiva e as máquinas começaram a trabalhar imediatamente", disse Carlos Ivan Marquez, chefe da equipe de resposta a desastres do país em comunicado. "Estaremos com o governador e com o prefeito dando toda a atenção necessária".

Fotos divulgadas no Twitter pela força aérea mostravam ruas na vizinha cheias de lama e casas danificadas , enquanto vídeos de celulares nas mídias sociais mostravam moradores buscando por sobreviventes.

"É uma área grande", disse à Caracol o prefeito de Mocoa, José Antonio Castro. "Uma grande parte das muitas casas foi tomada pela avalanche, mas acima de tudo as pessoas foram avisadas com tempo suficiente para sair, mas casas em 17 bairros foram devastadas." 

De acordo com Castro, duas pontes também foram destruídas. 

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters