Navigation

Dinamarca vai abater 1 milhão de visons por risco de transmissão de coronavírus

Abate de vison em De Mortel, na Holanda, em meio à pandemia de coronavírus 09/06/2020 REUTERS/Piroschka van de Wouw reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. outubro 2020 - 20:54

COPENHAGUE (Reuters) - A Dinamarca vai abater cerca de 1 milhão de visons após ter detectado novas infecções por coronavírus entre os animais em fazendas que os criam para aproveitar sua pele, disseram autoridades locais.

Maior produtor global de visons, o país nórdico já havia abatido animais de fazendas anteriormente por causa de infecções pelo vírus, mas os surtos persistiram.

Novos casos foram confirmados em 41 fazendas criadoras de visons, e acredita-se que outras 20 também tenham sido afetadas, o que totalizaria até 1 milhão de animais, disse o ministro do Meio Ambiente e Alimentos, Mogens Jensen, em uma entrevista coletiva na noite de quinta-feira.

Como forma de precaução, o processo de abate incluirá fazendas localizadas em um raio de oito quilômetros das criações afetadas.

"Meu foco principal é garantir que as fazendas de visons não se tornem um risco de infecção para as pessoas, e por isso o governo decidiu abatê-los", afirmou Jensen.

Em maio, a Espanha ordenou o abate de todos os 93 mil visons de uma criação para evitar o contágio de humanos, após descobrir que a maior parte dos animais havia sido infectada pelo coronavírus.

A Holanda também reportou um surto semelhante e conduziu processos de abate depois que duas pessoas foram consideradas infectadas por visons, embora acredite-se que os casos de transmissão de animais para humanos sejam extremamente raros.

(Reportagem de Tim Barsoe)

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.