Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CAIRO (Reuters) - Dois homens armados suspeitos de fabricarem bombas foram mortos em um tiroteio com forças de segurança egípcias em uma área ao norte do Cairo, informou o Ministério do Interior neste sábado.

Uma declaração disse que os dois homens, com 25 e 44 anos, eram "responsáveis ​​pela fabricação e transporte de explosivos para grupos armados afiliados à Irmandade Muçulmana".

O ministério disse que os grupos eram o Hasm e o Lewaa al-Thawra. A Irmandade, que diz que é uma organização pacífica, foi proibida pelo governo após a derrubada do presidente Mohamed Mursi, que havia sido candidato da Irmandade, em 2013.

O Hasm reivindicou a responsabilidade por um ataque que matou três policiais no Cairo na segunda-feira. Pouco é conhecido publicamente sobre Hasm, embora tenha reivindicado um punhado de ataques ao longo do ano passado.

Além dos ataques de Hasm, o Egito também está enfrentando uma insurgência da filial local do Estado Islâmico, tanto na península do Sinai como, mais recentemente, no Cairo e outras cidades, onde atentados com bombas em igrejas mataram mais de 70 pessoas desde dezembro.

(Reportagem de Mostafa Hashem e Arwa Gaballa)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters