Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CAIRO (Reuters) - A polícia egípcia prendeu quatro pessoas em conexão com o ataque a bomba que matou dezenas de cristãos na catedral dos cristãos coptas no Cairo no mês passado, disse o Ministério do Interior nesta quarta-feira.

Pelo menos 25 pessoas, a maioria delas mulheres e crianças, foram mortas quando uma bomba explodiu numa capela adjunta à Catedral de São Marcos, sede do papado copta. O Ministério da Saúde disse nesta quarta que o número de mortos havia subido para 28.

O presidente Abdel Fattah al-Sisi declarou depois do ataque que o responsável era um homem com uma veste suicida, e que forças de segurança estavam buscando duas outras pessoas supostamente envolvidas.

O Ministério do Interior afirmou em comunicado que havia capturado um dos dois e mais três outros que faziam parte da mesma célula. Um homem ainda está foragido, disse o ministério, sem dizer quando as prisões ocorreram.

O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque e ameaçou realizar outras ações contra cristãos, mas o Egito tem buscado ligar o atentado à Irmandade Muçulmana.

(Reportagem de Mostafa Hashem e Mahmoud Mourad)

Reuters