Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Menina carregando pratos em área alagada em Janakpur, no Nepal 13/08/2017 REUTERS/Navesh Chitrakar

(reuters_tickers)

Por Gopal Sharma

KATHMANDU (Reuters) - Elefantes ajudaram a resgatar centenas de turistas em um parque de safári alagado no Nepal, disseram autoridades nesta segunda-feira, quando o saldo de mortes por inundações súbitas e deslizamentos de terra ocorridos após quatro dias de chuvas intensas na região subiu para 70.

O rio Rapti transbordou em Sauraha, 80 quilômetros ao sul da capital, Kathmandu, inundando hotéis e restaurantes e deixando cerca de 600 turistas ilhados.

Sauraha, que fica nos arredores do Parque Nacional Chitwan, abriga 605 rinocerontes e é popular entre turistas estrangeiros, entre eles indianos e chineses, principalmente devido à observação de rinocerontes e aos passeios de elefantes.

"Cerca de 300 visitantes foram resgatados nas costas de elefantes e em caminhões de carga até (a vizinha) Bharatpur ontem, e o resto será levado a locais mais seguros hoje", disse Suman Ghimire, líder de um grupo de proprietários de hotéis de Sauraha, por telefone, nesta segunda-feira.

As enchentes também atingiram o Estado do nordeste da Índia de Assam, nos últimos dois dias, matando ao menos 15 pessoas e deslocando quase 2,3 milhões, disseram autoridades nesta segunda-feira.

Quase 90 por cento do Parque Nacional Kaziranga de Assam, lar da maior população mundial de rinocerontes de um chifre, uma espécie ameaçada, está debaixo d'água, disse a ministra das Florestas, Pramilla Rani Brahma. Os animais foram transferidos para uma área mais elevada.     

No Nepal, socorristas disseram que 26 dos 75 distritos do país estão submersos ou foram atingidos por deslizamentos de terra depois que chuvas pesadas abateram a nação himalaia.

O número de mortes deve subir, já que mais 50 pessoas estão desaparecidas, disse o ministro da Informação e Comunicações, Mohan Bahadur Basnet.

Basnet disse que mais de 60 mil casas estão submersas, principalmente nos planaltos do sul, que fazem fronteira com a Índia. Não há estimativas de perdas, já que as equipes de resgate ainda não chegaram aos vilarejos que foram isolados pelas piores inundações dos últimos anos.

"A situação é preocupante, já que dezenas de milhares de pessoas foram atingidas", explicou Basnet à Reuters.

Grandes extensões de terras de cultivo nos planaltos do sul, principal região de plantio de grãos do Nepal, estão debaixo d'água, e o país pode enfrentar escassez de alimentos devido à perda das lavouras, disseram agentes humanitários.

"As chuvas pesadas chegaram em um dos piores períodos, pouco depois de os agricultores plantarem arroz na região agrícola mais importante do país", disse Sumnima Shrestha, porta-voz do grupo norte-americano sem fins lucrativos Heifer International.

(Reportagem adicional de Zarir Hussain em Assam, Índia)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters