Reuters internacional

Por Marc Leras e Simon Carraud

MARSELHA/BIGUGLIA, França (Reuters) - O candidato centrista à presidência da França, Emmanuel Macron, destacou a Frente Nacional, de extrema-direita, como seu principal adversário neste sábado, prometendo vencer o primeiro turno em 23 de abril depois de uma nova pesquisa mostrar que a eleição está ficando cada vez mais acirrada.

"A Frente Nacional, nosso principal adversário, está nos atacando por todos os lados. Não vaiem. Lutem contra eles", disse um desafiador Macron em um comício em Marselha.

"Quero chutar desta campanha e deste país o partido do ódio e do desprezo e todos aqueles que nos fazem sentir vergonha. Vamos estar à frente no primeiro turno e vamos vencê-los", disse.

A corrida presidencial está ainda mais apertada do que na semana passada, indicou uma pesquisa de opinião neste sábado.

As intenções de voto no primeiro turno para os primeiros colocados, Macron e a líder da Frente Nacional Marine Le Pen, mostram os dois perdendo um ponto percentual, para 25 e 24 por cento, respectivamente.

O conservador François Fillon, em terceiro lugar, ganhou dois pontos e subiu para 19 por cento, com Jean-Luc Melenchon, de extrema-esquerda, subindo um ponto para 15 por cento, de acordo com a pesquisa do instituto BVA, realizada entre 29 e 30 de março. 

Para complicar as previsões, 38 por cento das pessoas não conseguiram dizer em quem votariam ou ainda podem mudar de ideia. Esse grupo caiu 2 pontos percentuais em relação à semana anterior, mas mostra que a corrida segue muito aberta.

A pesquisa mostra que o independente Macron solidificou sua base eleitoral, com 63 por cento dos que optam por ele afirmando que estão certos da decisão, 8 pontos a mais do que na semana anterior e a maior marca de certeza desde o começo da campanha, em fevereiro. 

No entanto, Le Pen ainda tem, de longe, a base eleitoral mais sólida, com 81 por cento dos seus eleitores tendo certeza que a escolherão.

Reuters

 Reuters internacional