Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Thomas Escritt e Michelle Martin

BERLIM (Reuters) - A Alemanha tentou neste sábado tranquilizar as 3 milhões de pessoas de ascendência turca do país de que permanecerá ao lado deles em meio à escalada de uma disputa com Ancara, dizendo que eles não são alvo de mudanças na política do governo em relação à Turquia.

Em uma carta publicada em alemão e turco no jornal Bild, o ministro de Relações Exteriores alemão, Sigmar Gabriel, afirma que a Alemanha não tem desavenças com o povo turco em nenhum dos países, mas que não ficaria de braços cruzados enquanto cidadãos alemães "inocentes" são detidos.

Na sexta-feira, o ministro de Finanças, Wolfgang Schaeuble, comparou a prisão pela Turquia de seis ativistas, incluindo um alemão, à repressão na ex-comunista Alemanha Oriental.

Gabriel escreveu na carta aberta deste sábado: "Embora difíceis as relações políticas entre Alemanha e Turquia, uma coisa é clara: você, as pessoas de origem turva na Alemanha, pertencem aqui conosco, tendo passaporte alemão ou não".

Ele disse que a Alemanha revisará a cooperação e, especialmente, a ajuda econômica à Turquia e que fará campanha para que a Europa tomar uma posição clara em relação a Ancara.

Gokay Sofuoglu, presidente da Comunidade Turca na Alemanha, saudou as palavras conciliadores de Gabriel. "Não devemos nos deixar ficar divididos aqui na Alemanha. As pessoas com raízes turcas precisam focar na Alemanha", disse ele ao jornal Welt am Sonntag.

Reuters