Reuters internacional

Secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, durante visita à Cabul, no Afeganistão. 14/06/2017 REUTERS/Josh Smith

(reuters_tickers)

Por Josh Smith

CABUL (Reuters) - Não existe solução militar para o conflito no Afeganistão, onde cada vez mais pessoas são forçadas a fugir de suas casas, disse o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, nesta quarta-feira, durante visita não anunciada ao país devastado pela guerra.

A primeira visita de Guterres ao Afeganistão no cargo acontece no momento em que o governo afegão enfrenta uma crise interna, insurgentes fazem progressos em todo o país e a coalizão militar internacional cogita enviar milhares de soldados a mais para ajudar as debilitadas forças afegãs.

Somadas, estas ameaças agravaram a crise dos refugiados e deslocados internos, obrigando organismos internacionais como a ONU a pedirem um financiamento emergencial.

A crise só pode ser solucionada terminando a guerra, disse Guterres em um campo improvisado nos arredores de Cabul que acomoda afegãos deslocados pelos combates.

"A paz é a solução para o problema", afirmou Guterres, que foi Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados.

Ao menos 126 mil afegãos foram forçados a fugir de seus lares, segundo a ONU.

Mais de 218 mil refugiados afegãos também voltaram dos vizinhos Irã e Paquistão neste ano, muitos deles citando pressões das autoridades destes países.

Reuters

 Reuters internacional