Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Embaixador britânica na UE, Ivan Rogers, em Bruxelas. 28/06/2016 REUTERS/Francois Lenoir

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - O embaixador do Reino Unido na União Europeia, que anunciou sua renúncia ao cargo, disse que os objetivos de negociação da primeira-ministra Theresa May para a saída britânica do bloco europeu são desconhecidos perante os representantes do governo em Bruxelas, de acordo com a BBC.

Em uma carta para servidores anunciando sua renúncia menos de três meses antes de a premiê iniciar as negociações formais para o chamado Brexit, Ivan Rogers disse que Londres carece de negociadores experientes e pediu para que a equipe em Bruxelas critique considerações duvidosas. 

“Espero que vocês continuem a contestar argumentos pouco fundamentados e considerações confusas, e que vocês nunca tenham medo de falar a verdade àqueles no poder”, disse Rogers em uma carta, publicada na íntegra pela BBC.

Além dos comentários gerais sobre conseguir o melhor acordo possível para quando a Grã-Bretanha deixar o bloco, Theresa May pouco revelou sobre seus objetivos de negociação, argumentando que ela não quer enfraquecer sua posição ao mostrar todas as suas cartas.

Rogers sugeriu que até mesmo sua equipe, a qual terá um papel fundamental nas complexas negociações com os outros 27 membros da UE, estava no escuro sobre o que o governo quer.

“Ainda não sabemos o que o governo vai estabelecer como objetivos de negociação para o relacionamento do Reino Unido com a UE após a saída”, escreveu Rogers.

Ele também enfatizou a importância da experiência técnica e detalhou conhecimento de posições sobre o outro lado da mesa, e os motivos que outros países têm, dizendo que muitas oportunidades futuras dependeriam “do formato preciso dos acordos que podemos negociar.”

(Por Estelle Shirbon)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters