Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley, disse neste domingo que o Conselho de Segurança da ONU esgotou suas opções na contenção do programa nuclear da Coreia do Norte e que os EUA podem ter que entregar o assunto ao Pentágono.

"Nós esgotamos todas as coisas que poderíamos fazer no Conselho de Segurança neste momento", disse Haley ao "State of the Union" da CNN, acrescentando que estava perfeitamente feliz em entregar o assunto ao secretário de Defesa, James Mattis.

Num momento em que os líderes mundiais se dirigem para a sede das Nações Unidas em Nova York para a reunião anual da Assembleia Geral nesta semana, os comentários de Haley indicam que os Estados Unidos não estão recuando da ameaça de ação militar contra a Coreia do Norte.

A Coreia do Norte lançou um míssil sobre o Japão no Oceano Pacífico na quinta-feira, desafiando as novas sanções do Conselho de Segurança da ONU, que proibiram as exportações de têxteis e limitaram as importações de petróleo bruto.

A China pediu aos EUA que se abstenham de ameaçar a Coreia do Norte.

Questionada sobre o aviso do presidente Donald Trump no mês passado de que a ameaça da Coreia do Norte para os Estados Unidos seria enfrentada com "fogo e fúria", Haley disse: "Não foi uma ameaça vazia".

"Se a Coreia do Norte continuar com esse comportamento imprudente, se os Estados Unidos tiverem que se defender ou defender seus aliados de qualquer maneira, a Coreia do Norte será destruída. E todos sabemos disso. E nenhum de nós quer isso. Nenhum de nós quer guerra", disse ela na CNN.

"Estamos tentando todas as outras possibilidades que temos, mas há muitas opções militares na mesa", acrescentou.

Pyongyang tem lançado dezenas de mísseis à medida que acelera um programa de armas projetado para fornecer a capacidade de atingir os Estados Unidos com um poderoso míssil nuclear.

A Coreia do Norte disse no sábado que pretende atingir um "equilíbrio" de força militar com os Estados Unidos.

(Por Doina Chiacu)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters