Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, culpou a Rússia nesta quinta-feira pela recente onda de violência no leste da Ucrânia e alertou que as sanções contra os russos relacionadas à Ucrânia não serão retiradas até que Moscou devolva Crimea a Kiev.

"Considero lamentável que, na minha primeira aparição aqui, eu precise condenar as ações agressivas da Rússia", disse Haley, fazendo suas primeiras observações públicas no Conselho de Segurança desde que assumiu o cargo de representante dos Estados Unidos na ONU, no mês passado.

"Não deve acontecer, nem ser assim. Queremos melhorar nossas relações com a Rússia, mas a situação extrema no leste da Ucrânia é uma condenação clara e forte das ações russas."

As declarações dela ocorrem em meio à especulação sobre as intenções do novo presidente norte-americano, Donald Trump, em relação a Moscou. Trump elogiou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e expressou o desejo de melhorar as relações entre os dois países.

(Reportagem de Ned Parker)

Reuters