Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Enchente na cidade australiana de Townsville 30/3/2017 REUTERS/Gary Ramage/Divulgação

(reuters_tickers)

SYDNEY (Reuters) - Dezenas de milhares de australianos ficaram isolados por enchentes nesta sexta-feira após os restos de um poderoso ciclone passarem pela costa leste do país, atingindo estradas, destruindo pontes e matando duas pessoas.

A zona de desastre do ex-ciclone Debbie se alongou por mil quilômetros, das ilhas tropicais do Estado de Queensland e da faixa turística de Gold Coast às fazendas do Estado de New South Wales, com mais de 100 mil casas sem energia elétrica.

Seis grandes rios atingiram níveis de enchente e ainda aumentavam em diversas áreas, informou o Serviço de Meteorologia.

Sirenes de enchentes foram acionadas em diversas cidades, fazendo com que moradores isolados subissem aos telhados de casas alagadas para aguardar resgate, mas águas se movendo rapidamente e fortes ventos impossibilitaram que equipes de emergência alcançassem muitas áreas.

A polícia informou ter recuperado os corpos de duas mulheres de enchentes nesta sexta-feira, nas primeiras mortes relatadas desde que o ciclone Debbie atingiu a região, na terça-feira. Uma foi encontrada em uma propriedade inundada e outra foi recuperada por mergulhadores da polícia em um carro arrastado por uma ponte que caiu.

Autoridades temem que mais pessoas possam ter morrido durante a noite, à medida que o nível da água das enchentes continua a crescer.  

O ciclone Debbie, uma tempestade de categoria quatro, atingiu Queensland na terça-feira, destruindo resorts turísticos, derrubando linhas de transmissão de energia e obrigando o fechamento de minas de carvão, mas desde então se transformou em uma depressão causadora de chuvas.

Reuters