Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Andreas Rinke e Bettina Borgfeld

BERLIM (Reuters) - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que deve conseguir o quarto mandato na eleição de domingo, e seu adversário de centro-esquerda Martin Schulz, pediram a apoiadores neste sábado para continuarem trabalhando por votos, com um terço do eleitorado ainda indeciso.

É muito grande a expectativa pela reeleição de Merkel, com o Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão), de Schulz, se esforçando para ficar acima dos 20 por cento, mas o partido Alternativa para a Alemanha (AfD), da extrema-direita, pode surgir como o terceiro maior partido, complicando o panorama para a próxima coalizão de Merkel.

    Um nova pesquisa de opinião Insa publicada pelo jornal Bild indicava perda de apoio aos conservadores de Merkel, que recuaram 2 pontos percentuais, indo para 34 por cento, e ao SPD, que perdeu 1 ponto percentual, indo para 21 por cento --ambos governam juntos agora em uma “grande coalizão”.

    O anti-imigração AfD, no entanto, cresceu 2 pontos percentuais, indo para 13 por cento, cimentando sua tentativa de ser o primeiro partido da extrema-direita a entrar no Parlamento desde o final da Segunda Guerra Mundial.

    Merkel pediu para apoiadores angariarem votos ao focarem nos esforços dos conservadores em nome das famílias, uma promessa de evitar aumentos de impostos e ênfase em aumento de segurança na Alemanha.

    A líder democrata-cristã também elogiou o papel da União Europeia em garantir estabilidade em “um mundo problemático”.

    “Nós queremos impulsionar sua motivação para que possamos ainda alcançar muitas, muitas pessoas hoje. Muitas ainda estão indecisas”, disse Merkel antes de seguir para o norte do país para sua base eleitoral natal.

    Eleita pela primeira vez em 2005, Merkel continua popular na Alemanha, mas tem frequentemente enfrentado vaias de manifestantes de esquerda e direita durante comícios nesta campanha.

    Em Aachen, Schulz prometeu lutar por todos os votos até que as urnas sejam fechadas, às 18h de domingo (horário local). Ele disse que um maior comparecimento dos eleitores é essencial para compensar o crescente apoio ao AfD, que descreveu como um partido de pessoas que têm ódio.

    “Jovens, pensem sobre o Brexit, pensem sobre Trump”, disse. “Votem. Considerem este direito de votar seriamente, e usem ele”.

    O AfD foi fundado em 2013 como o objetivo original de se opor a grandes resgates de países da zona do euro financeiramente atingidos, mas desde 2015 alterou seu foco para imigração.

O partido foi alvo de crescente escrutínio nas últimas semanas após seu principal candidato, Alexander Gauland, dizer que o ministro da integração alemão deveria ser despejado no país de seus pais, a Turquia, e que alemães deveriam ter orgulho do que suas forças armadas fizeram na Primeira e Segunda Guerra Mundial.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters