Reuters internacional

Erdogan concede entrevista à Reuters 25/4/2017 REUTERS/Umit Bektas

(reuters_tickers)

Por Samia Nakhoul e Nick Tattersall e Orhan Coskun

ANCARA (Reuters) - O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, insistiu que não existe solução para o conflito da Síria enquanto o presidente sírio, Bashar al-Assad, continuar no poder, e que seu colega russo, Vladimir Putin, lhe afirmou não estar comprometido pessoalmente com o líder sírio.

"Assad não é o rumo de uma solução em potencial para a Síria", disse Erdogan à Reuters em uma entrevista no palácio presidencial de Ancara. "A Síria deveria ser libertada de Assad para que uma solução possa emergir".

"Enquanto Assad permanecer no poder, uma solução jamais poderá ser criada na Síria", afirmou Erdogan. "Ele atacou seu povo com tanques, com canhões, com bombas barril, com armas químicas, com caças. Você acha que ele pode ser o veículo de uma solução?"

Erdogan também insinuou que o apoio russo ao dirigente sírio diminuiu. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, lhe disse, segundo ele: "'Erdogan, não me entenda mal. Não sou um defensor de Assad, não sou seu advogado.' Foi isso que ele disse. Putin me disse isso".

    Há acontecimentos na Síria que Putin "não pode compartilhar conosco", disse o líder turco, "mas neste momento Putin, (o presidente norte-americano Donald) Trump, nós, Irã, Arábia Saudita, Catar, todos nós assumimos um papel ativo no esforço para criar uma solução na Síria. Podemos nos unir e ajudar o povo da Síria a tomar suas próprias decisões".

O presidente turco negou enfaticamente que a única alternativa a Assad seria os jihadistas sunitas, como o Estado Islâmico, tomarem o poder , e opinou que os sírios encontrariam um caminho para seguir adiante se fossem libertados de seu jugo.

"O Daesh não irá substituir Assad", disse, usando um termo árabe para se referir ao Estado Islâmico. "O Daesh não representa o islã, eles são uma blasfêmia, eles não têm conexão com o islã e isso é algo com que todos nós temos que concordar".

    Ele contou ter debatido o assunto com Trump e Putin, após não ter conseguido fazer progressos com o ex-presidente norte-americano Barack Obama.

    "Assad matou centenas de milhares de pessoas e eu tenho 3 milhões de refugiados no meu país, 1,5 milhão de refugiados estão atualmente no Líbano e há cerca de 1 milhão de refugiados na Jordânia, e estas pessoas fugiram de sua terra natal".

"Por quê? Assad é a única razão, já não podemos falar de uma solução com Assad, ou nossos esforços serão em vão, então temos que deixar o povo da Síria escolher seu próprio líder".

Erdogan disse acreditar que há diversas alternativas a Assad. "Não tenho hesitações, não tenho reservas. Há muitos nomes ideais que podem ser o próximo líder."

Reuters

 Reuters internacional