Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ISTAMBUL (Reuters) - O presidente Tayip Erdogan disse neste sábado que a Turquia pode ter um segundo referendo sobre a continuidade das negociações de participação na União Europeia, após a planejada votação de 16 abril que pode conceder a ele novos poderes.

“Agora estamos realizando um referendo em 16 de abril e depois disso nós escolheremos se faremos um segundo, sobre as negociações de inclusão (na UE) e obedeceremos o que quer que nosso povo nos diga neles”, disse Erdogan em um fórum em conjunto com o Reino Unido na cidade de Antalya.

Seus comentários foram feitos um dia após ter prometido revisar todos os laços políticos e administrativos com a União Europeia, incluindo um acordo para limitar a migração ilegal, mas que manteria as relações econômicas com o bloco.

As relações da Turquia com os países da UE azedaram nos últimos meses após Holanda e Alemanha cancelarem eventos de campanha planejados em seus territórios por autoridades turcas, que visavam atrair suporte para o “sim” no referendo de abril entre expatriados turcos.

Ambos os países citaram preocupações com a segurança para justificar suas decisões, mas Erdogan os acusou de usarem “métodos nazistas” e pisotearem a liberdade de expressão, comentários que enfureceram vários governos da UE e aprofundaram a briga.

“A Turquia tem esperado na porta (da UE) por 54 anos”, disse ele, referindo-se a 1963, quando Ancara se juntou à então união econômica do bloco.

(Por Humeyra Pamuk)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters