Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

JUBA (Reuters) - Ao menos 15 crianças morreram no Sudão do Sul no início de maio porque agentes de saúde usaram uma mesma seringa sem esterilizá-la durante campanha de vacinação contra sarampo, informou o Ministério da Saúde nesta sexta-feira.

Cerca de 300 crianças foram vacinadas entre 2 e 5 de maio no vilarejo de Nacholdokopele, no Estado de Equatória Oriental, das quais 15 morreram e 32 se recuperaram depois de adoecerem apresentando sintomas como febre, vômitos e diarreia, disse o ministro da Saúde, Riek Gai Kok.

"A equipe que vacinou as crianças neste evento trágico não estava qualificada nem treinada para a campanha de imunização", disse Kok em uma coletiva de imprensa.

Um relatório preparado por um comitê de especialistas revelou que as crianças morreram por toxicidade de septicemia resultante da contaminação da vacina, causada pelo uso repetido de uma seringa que não foi esterilizada.

O Sudão do Sul, país produtor de petróleo que se tornou independente em 2011, vem tendo dificuldade para oferecer serviços básicos, como os de saúde, desde que mergulhou em uma guerra civil em dezembro de 2013.

(Por Denis Dumo)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters