Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Rick Perry durante testemunho no Capitólio. 19/1/2017. REUTERS/Carlos Barria

(reuters_tickers)

Por Timothy Gardner

WASHINGTON (Reuters) - Rick Perry, escolha do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, para comandar o Departamento de Energia, disse durante sua sabatina no Senado nesta quinta-feira que o aquecimento global causado pelos seres humanos é real, mas que os esforços para combatê-lo não devem custar empregos dos norte-americanos.

O comentário marca uma mudança para o ex-governador do Texas, que anteriormente chamou a ciência por trás da mudança climática de "incerta" e uma "bagunça inventada, falsa". O comentário também vai de encontro às declarações de Trump durante sua campanha para a Casa Branca de que o aquecimento global é uma farsa destinada a enfraquecer os negócios dos EUA.

"Eu acredito que o clima está mudando. Eu acredito que parte (da mudança) é natural, mas parte também é causada pela atividade humana. A questão é como podemos tratá-la de uma forma ponderada que não comprometa o crescimento econômico, a energia acessível ou empregos norte-americanos ", disse Perry.

Trump, que assumirá o cargo de presidente na sexta-feira, prometeu reduzir a regulamentação que limita as emissões de dióxido de carbono nos EUA e sugeriu retirar os EUA acordo sobre a mudança climática assinado em Paris em 2015.

Perry, de 66 anos, foi governador do Texas de 2000 a 2015, sendo o político que serviu mais tempo como governador na história do Estado produtor de petróleo. Ele é visto por Trump como uma pessoa que pode fomentar empregos no setor de energia.

Como secretário de Energia, ele também liderará uma vasta operação de pesquisa para ajudar a desencadear uma expansão das perfurações nos EUA e avanços na eficiência energética do país, além de fiscalizar o arsenal nuclear norte-americano. 

O ex-governador também disse durante a sebatina que se arrepende de ter pedido a eliminação da pasta durante sua tentativa frustrada de concorrer à presidência pelo partido republicano em 2012. 

“Após ser informado sobre muitas das funções vitais do Departamento de Energia, eu me arrependo de ter recomendado sua eliminação”, disse o ex-governador do Texas em seus comentários de abertura perante o Comitê de Energia e Recursos Naturais do Senado. 

A proposta de Perry de se livrar do Departamento de Energia causou um momento embaraçoso durante um debate de postulantes presidenciais republicanos em novembro de 2011, quando ele não conseguia se lembrar de todos os departamentos que pretendia eliminar se fosse eleito.

Após mencionar os departamentos de Comércio e Educação, ele disse: “Eu não consigo (me lembrar). O terceiro, não consigo. Desculpem-me. Oops.” Poucos minutos depois no debate, Perry disse com uma risada: “Então, era o Departamento de Energia que eu queria me lembrar há um tempo.”

Reuters