Navigation

Espanha vai usar soldados para rastrear ressurgimento do coronavírus

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez. 25/08/2020. REUTERS/Juan Medina. reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. agosto 2020 - 18:19

Por Belén Carreño

MADRI (Reuters) - O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, afirmou nesta terça-feira que tropas serão mobilizadas para auxiliar regiões do país a superarem o ressurgimento do coronavírus, após a pior semana de infecções na Espanha desde o pico da pandemia no fim de março.

Ele também disse que os governos regionais podem tomar decisões sobre como lidar no enfrentamento à pandemia, em vez de ter o governo central no comando.

O governo apoiaria as demandas dos líderes regionais para declarar estados de emergência localizados, disse Sánchez.

"A curva de dados da pandemia é preocupante e deve ser contida. Temos que ficar calmos e vigilantes", disse Sánchez, depois da primeira reunião de gabinete após o recesso de verão.

A contagem acumulada de casos do coronavírus na Espanha --a maior da Europa Ocidental-- chegou a 412.553 nesta terça-feira, mas as novas infecções, 2.415 nas últimas 24 horas, parecem ter diminuído após um aumento na semana passada, quando mais de 7.000 casos foram registrados por dias durante quatro dias consecutivos, de acordo com números do Ministério da Saúde.

Os números diários podem ser atualizados retroativamente.

As infecções aumentaram drasticamente desde que a Espanha suspendeu o estado de emergência e a interrupção das atividades econômicas, que duravam três meses, no fim de junho, mas o número de mortes diárias tem sido muito mais baixo em relação ao período que compreende os meses de março a maio. Com 10 novas mortes registradas nesta terça-feira, o número total de mortos na Espanha é de 28.924.

(Por Andrei Khalip)

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.