Navigation

Estação de trens é alvo de combates em Donetsk, dizem separatistas ucranianos

Militante separatista pró-Rússia monta guarda em uma estação ferroviária de Donetsk. 21/07/2014. REUTERS/Konstantin Cherginsky reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. julho 2014 - 11:48

DONETSK Ucrânia (Reuters) - Combates irromperam nesta segunda-feira perto da estação de trem de Donetsk, no leste da Ucrânia, e era possível ver nuvens de fumaça emergirem de fogo de artilharia, que os separatistas pró-Rússia atribuíram a uma tentativa das forças do governo ucraniano de retomar o controle da região, em mãos dos rebeldes desde abril.

A população fugia do local enquanto micro-ônibus levavam dezenas de rebeldes para a área central da cidade. Segundo os separatistas, as forças do governo estavam tentando desalojá-los da cidade, dias depois de um avião de uma companhia área da Malásia ter sido derrubado a cerca de 60 quilômetros da área.

"Está perigoso perto da estação ferroviária", disse o conselho municipal da cidade em um comunicado em seu website, pedindo que os moradores da área permanecessem em suas casas.

De acordo com o conselho, uma edificação de nove andares foi danificada pelo bombardeio e o transporte foi suspenso na área.

Donetsk está no centro da rebelião separatista contra o governo central, em Kiev. O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, prometeu retomar o controle da cidade, numa campanha que ele denomina de "operação antiterrorista" contra os separatistas.

Um porta-voz do Conselho de Segurança da Ucrânia disse que o Exército não estava por trás de nenhuma explosão em Donetsk nesta segunda-feira na região de Donetsk, onde os rebeldes disseram que tanques ucranianos estavam entrando na área.

"Nós temos ordens estritas para não recorrer a ataques aéreos e artilharia na cidade. Se existe algum combate na cidade, nós temos informação de que é um pequeno grupo autônomo que está lutando contra os terroristas", afirmou Andriy Lysenko.

(Reportagem de Anton Zverev)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.