Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CABUL (Reuters) - O Estado Islâmico reivindicou responsabilidade nesta quarta-feira por um ataque suicida que matou ao menos 22 pessoas do lado de fora da Suprema Corte do Afeganistão.

O autor do ataque, identificado pelo grupo militante como Abu Bakr Altajiki, detonou um cinturão explosivo à medida que funcionários da corte deixavam o trabalho, no centro de Cabul, na noite de terça-feira.

"Os apóstatas precisam saber, começando pelos juízes tiranos, que seus julgamentos blasfemos... não seguirão sem punições severas", disse o Estado Islâmico em comunicado.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, chamou a explosão de um "ataque covarde" e disse que o assessor de segurança nacional dos Estados Unidos, Michael Flynn, ligou para sua contraparte afegã, Mohammad Atmar, para "reafirmar nosso apoio ao governo afegão".

(Reportagem de Ahmed Tolba, no Cairo, e Josh Smith, em Cabul)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters